<BODY> philipinas: MEU PORTEIRO ESTÁ EM DEPRESSÃO

domingo, agosto 6

MEU PORTEIRO ESTÁ EM DEPRESSÃO


Ele costumava ser alegre. Passávamos pela portaria e ele dava bom dia, estava sempre com a tevê ligada vendo o Faustão, a novela, o jogo de futebol. Mas, de uns tempos para cá, muita coisa mudou.

Seu Henrique não sorri e está sempre com o olhar perdido, fitando o horizonte. Para entrar no prédio, é necessário gritar o nome dele mais de duas vezes. Atualmente, a mesa de trabalho está vazia, limpa, organizada. Seu Henrique virou uma espécie de robô que abre portas. O dedo que aperta o botão para nos deixar entrar é a única coisa que se mexe.

Gostaria de ter a coragem de conversar com ele um dia e perguntar o que está acontecendo em sua vida. Mas a vontade de pegar o elevador e chegar logo em casa é sempre maior.