<BODY> philipinas: DISQUINHO DE ESTRÉIA DE DANGEROUS MUSE SAI EM AGOSTO

quarta-feira, junho 21

DISQUINHO DE ESTRÉIA DE DANGEROUS MUSE SAI EM AGOSTO


A dupla de electro pop mais badalada do momento falou com Arjan sobre as expectativas do público em relação ao disco novo, influências musicais e orientação sexual.

Depeche Mode, Erasure e Soft Cell são as principais influências das músicas do EP que Dangerous Muse lança no final de agosto. Dentre as faixas novas, "In this Town", "Break Up" e "Give me Danger", além das já conhecidas "Apart", "All Yours" e "The Rejection" (que podem ser baixadas aqui). "Sabemos da expectativa do público em relação à nossa música, mas eu não acho que isso influencia o modo que a gente trabalha. Estamos felizes com o que estamos produzindo e isso que importa", disse Tom Napack, em entrevista exclusiva para o Arjanwrites.

Tom é o cara do sintetizador que, diferentemente de Mike Furey, o vocalista, fala pelos cotovelos. Aliás, foi o próprio que tentou definir a orientação sexual da dupla. "Nós não somos gays. Muito menos héteros. Somos uma cruza entre metrossexuais e gays que se vestem bem", explicou Napack. Ambos se recusaram em afirmar que são bissexuais. Eles acreditam que o termo é muito forte e vem carregado de significados. "Somos heteroflexíveis", definiu.

A dupla também falou sobre a importância da imagem para a música. Mike e Tom admitiram que criar um "vizu legal" é essencial para o entretenimento da galera. "Mas isso não significa que somos superficiais", defendeu Furey. "Estamos falando de um visual que marca presença. Não é somente sobre ser dois caras bonitos. É bom lembrar que nós escrevemos nossa própria música. Não somos as Spice Girls", comparou, fazendo o parceiro Tom gargalhar.