<BODY> philipinas: SE O PEIDO TIVESSE UMA CARA, SERIA A DO NICOLAS CAGE

domingo, maio 7

SE O PEIDO TIVESSE UMA CARA, SERIA A DO NICOLAS CAGE


Não se trata exatamente de uma notícia, mas de um desabafo. Os grandes estúdios de Hollywood deviam parar de colocar a cara do Nicolas Cage nos cartazes dos filmes. Assim não dá para ir ao cinema.

Anuncio desde já a minha greve de filmes do Nicolas Cage (cada garotinho com o seu protesto). O sinal de desgaste já começou em "Senhor das Armas", onde o ator interpreta um traficante de armamento pesado em diversos locais do planeta. Apesar de todas as críticas favoráveis e boas opiniões de amigos que viram o filme, não consegui assistir. É que no cartaz o ator me olhava com aquela cara de peido. Aquela famosa cara que vem contaminando o pôster de todos os filmes estrelados por ele recentemente.

Andando pela rua, vejo na porta da locadora o cartaz de "O Sol de cada manhã". Para minha surpresa, lá estava ele, Nicolas Cage, novamente com cara de peido. Por que fazem isso com a gente? Não vi o filme no cinema e nem pretendo alugar. Senti revolta.

Vale lembrar que o fenômeno cara-de-peido do ator não está contaminando somente os cartazes de divulgação dos filmes, mas também influenciando todos os personagens que ele vem fazendo atualmente. Tudo começou em 1995, no filme "Despedida em Las Vegas", onde Nicolas Cage interpretava o papel de um beberrão depressivo que foi para a cidade de Bush dos cassinos se apaixonar por Elizabeth Shue na pele de uma puta irresistível. Entre garrafas e máquinas de caça-níquel, lá estava ele, Nicolas Cage, cambaleando e sofrendo com cara de peido.

Três anos depois, o fenômeno atinge o seu grau máximo em "Cidade dos Anjos". O filme, uma refilmagem tosca de "Asas do Desejo", de Wim Wenders, mostra o anjo Nicolas Cage o tempo inteiro com cara de peixe morto acompanhando e peidando na vida de Meg Ryan - esta, com cara de fuinha. A tosqueira é tão grande que, no final do filme, dá até para vibrar com o acidente de bicicleta que mata a atriz. Quem mandou dar idéia para o cara de peido?

Dá saudade dos tempos em que o ator fazia coisas do tipo "Arizona Nunca Mais" e "Coração Selvagem", do David Lynch. Ao menos nestes filmes, ele costumava interpretar personagens diferentes e nos brindar com ótimas atuações. Hoje em dia, uma pena... É só peido.