<BODY> philipinas

sexta-feira, fevereiro 17


VELHINHO BATENDO UM BOLÃO

"Ponto final" (Match Point), o novo filme de Woody Allen, chega aos cinemas neste fim de semana. Leia a opinião de quem já viu.



Ricardo Calil, No Mínimo: "Dizer que Match Point é o melhor filme do cineasta em muitos anos não significa grande coisa, visto que ele vinha de uma longa série de comédias pouco memoráveis. Será melhor afirmar que se trata de uma das melhores obras de sua carreira e uma das produções mais provocadoras do cinema recente."

Jaime Biaggio, O Globo: "A prova da disposição de Allen em avançar por novo terreno é o investimento deste filme na sensualidade, em grau inédito para ele. Não é suadouro (ele não está mais na idade): são só closes faciais, mas que closes! Só neles já se atesta que o sangue voltou a correr pelas veias do cineasta. Não, ele ainda não deu o que tinha que dar. Vem mais coisa por aí."

Inácio Araújo, Folha de S. Paulo: "Em Ponto Final, que estréia hoje no país, Woody, como que voltando aos anos 80, encosta a comédia e recupera a ambição -com vantagens e desvantagens. (...) no fim das contas, mesmo que o lado europeizante o atrapalhe, Allen faz um filme que se assiste com prazer -como é, aliás, de seu feitio."

O filme, muito comparado com “Crimes e Pecados”, um dos meus prediletos de Woody Allen, faz atiçar ainda mais o desejo de ir ao cinema. De lambuja, ainda tem a presença de Scarlett Johansson, uma das atrizes mais competentes da nova geração.

A moça é a nova musa do velhinho (ela também estrela o novo filme de Allen, Scoop - que eu falei aqui embaixo). Para quem já teve Mia Farrow e Diane Keaton como prediletas, a escolha de Scarlett não significa pouca coisa.