<BODY> philipinas

quinta-feira, dezembro 22


ANOTA AÍ

O Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo disse que discutir ou ofender o chefe não é suficiente para ser demitido por justa causa.

Um bom exemplo disso, como conta a Folha, é o caso de uma empregada da ISS Servisystem do Brasil que foi demitida ao fazer um barraco com a patroa.

A funcionária se recusou a limpar uma câmara fria alegando que estava doente. A patroa não quis saber. Mandou limpar mesmo assim. Durante o bate-boca, a mulher molhou a chefe com uma mangueira. Depois do acontecido, a empresa dispensou a funcionária sem pagar um centavo.

A juíza Vera Marta Públio Dias, do TRT-SP, acha que o estabelecimento devia impor penas disciplinares antes de demitir por justa causa. "Ora, um ato isolado, que pode estar contaminado por circunstâncias pessoais momentâneas, não pode servir de motivo para a dispensa injusta", disse.

Na sua opinião, a tia da limpeza devia mesmo ser demitida sem receber nada?

a) Claro. Qualquer barraqueira desse tipo merece, mesmo gripada, limpar geladeira fria.
b) Não, coitada. A mulher deve ganhar uma miséria. Tinha que ter era jogado a patroa dentro da câmara fria e fechado a porta.
c) Assim é fácil julgar. Queria ver se fossem os juízes ouvindo ofensas e levando água de mangueira...
d) Sinceramente, Phelipe, isso é falta de assunto? Tem gente morrendo de fome no Kenia. Até a Drew Barrymore foi para lá.
e) Hein? Ainda tô olhando a celulite da Mariah. Peraí.