<BODY> philipinas

segunda-feira, fevereiro 14


VON SUCKS

Moderno? Na moda? Tendência? Tá na Vogue? Duvido.

Assistir "Married with children", apreciar o trabalho do fotógrafo Terry Richardson, achar a Britney Spears legal, fazer tatuagens cafonas, usar camisas de flanela quadriculadas, ter uma arma em casa, dirigir um caminhão e arrotar ao beber cerveja no sofá. Tudo combina com um boné Von Dutch, queira você ou não.

O novo adereço que faz a cabeça dos "modernos" da cidade (um boné Von Dutch custa, aproximadamente, R$ 200) não deixa de ser um dos ícones da cultura white trash americana. Sim, boné de caminhoneiro.


A maioria que usa o boné nem sabe quem é (ou o que é) Von Dutch, mas eu conto mesmo assim. O cara foi um americano branco racista, amargo e violento, como dizem seus amigos mais íntimos.

Morto em 1992, foi um mecânico que reinventou a pintura em automóveis, desenhando cenas do cotidiano e animais selvagens nos carros. Super habilidoso, Von também fazia suas próprias facas, armas e skates motorizados. Lindo, né?

Então, me explique: com um boné cafona, com o nome de um loser estampado na frente, vira tendência uber cool, assim, do dia para a noite?


- Acho fofo!

Bem, essa parte todo mundo sabe. Hoje em dia, quem usa um Von Dutch não é só um caipira americano que vota no Bush. Nããããão. Usar um boné desses é ser quase uma Paris Hilton, um Justin Timberlake, uma Britney Spears, um Ashton Kutcher ou, sei lá, uma dessas novas atrizes teens com nomes também cafonas.


- Acho meu cu!

Todas estas celebridades foram clicadas, saindo de Selects e cinemas, usando um boné desses. E como todo o mundo (começando pelo berço da civilização, Los Angeles) lê a People, o The Sun, a Caras, a Quem, e quer ser alguém, pronto!, virou febre.

"Se ele estivesse vivo, entraria num desses lugares com uma arma e mataria essas pessoas", disse Robert Williams, artista que já trabalhou com Von Dutch.

Tá vendo? Quanto mais coisa "trash" em volta, mais cool fica um Von Dutch. E você? Já escolheu o seu?