<BODY> philipinas: Janeiro 2004

sexta-feira, janeiro 30


Gold member

Warren era dono de um grande portal de internet. Era americano e tinha conquistado o mercado brasileiro com a sua experiência e seu gancho para negócios. E Leonardo era gay. Estudava direito e estagiava na mesma empresa.

Nas horas vagas, Warren gostava de ficar vendo fotologs. Um dia, descobriu o de Leonardo. Ficou surpreso: fotos sensuais do garoto de toalha, sem cueca, mostrando a tatuagem na virilha e beijando dois caras ao mesmo tempo. Não pensou duas vezes. Mandou um e-mail para o garoto:

"Descobri o seu fotolog. Venha na minha sala.
Ass. W".


Leonardo teve dor de barriga. Suou frio. Como ia explicar para os pais a demissão repentina? Será que o chefe ia espalhar para todos o endereço? Teve vontade de chorar. Conteve-se e foi até lá. Warren estava nu.

O número de fotos em seu site, depois daquele dia, triplicou. Agora era assinante. Usava o serviço pago e podia colocar quantas fotos quisesse. Toda sexta-feira, no final do expediente, Warren o chamava. Exigia 30 fotos para o fim de semana: "leve a câmera para onde você for. Quero fotos picantes, de sunga, beijos, com bastante meninos. Gosto quando você faz cara de puta", dizia.

Leonardo, depois de formado, teve que ser contratado. Ficou como designer do portal.

quarta-feira, janeiro 28



A campanha acima é feita pelo site Rei do Pop. Os fãs do Michael Jackson pretendem fazer vigília em frente ao Hotel Copacabana Palace. Não ria. A coisa tá feia. Não pode brincar com o rei. Eu, por exemplo, photoshopei uma foto dele pra colocar no meu fotolog e levei a maior bronca. MEDO!

Update: Falando em fotolog, vocês conhecem o da Dona Arlinda?

terça-feira, janeiro 27


Falar é um problema

Ainda mais no Brasil, onde a hipocrisia não permite que a verdade (nem em forma de brincadeira) apareça. O país pode aparentar ser bem humorado, mas nunca consegue rir de piadas. Quem anda sofrendo com isso é a Rita Lee que, no Rio, brincou com a festa de 450 anos dos paulistas dizendo que eles não sabiam fazer festa, que "pintaram tudo de cinza". Depois foi com o seu show para comemorar o aniversário de sampa dizendo que "veio ganhar uma graninha porque, afinal, São Paulo serve pra quê, né?"

Pronto. Jornalistas em cima e muita gente achando a Rita Lee "super escrota, zente. Nada a ver ela falar mal da zente". Mas Rita Lee não se desculpou. Tentou explicar para o Estadão: "Juro procê que nem Madonna pensaria num golpe de marketing tão fantástico quanto esse velho lero-lero sobre a rixa entre Sampa e Rio. Putz, falta de assunto dos seus coleguinhas, hein! Não entendo patrulhar palhaços feito eu. Com tanto político por aí precisando de xilindró e os reaças querem me pegar pra Cristo!”.

Em seu site oficial, escreveu: "Rio e São Paulo são duas cidades de memória curta, pois há anos venho repetindo as mesmas piadas sobre estar de saco cheio de São Paulo e pedir asilo ao Rio.... quando chego em Sampa a história se inverte. Ainda bem que Marta Suplicy é competente, bem humorada e sabe que meu nome é deboche".

Aquele ditado "quem fala o que quer..." pode até ser verdade. Mas devia ser mudado para "quem fala o que quer, ouve o que não quer de quem não tem culhão ou senso de humor pra dizer alguma coisa". No Brasil, não dá pra brincar com nada ou ninguém. Até o pessoal do Casseta & Planeta tem que maneirar. Se te acham "venenoso", você precisa ter cuidado. No trabalho, por exemplo, chute cachorro morto. Faça piadas com viados, cornos, louras burras e mulheres boazudas. Mas sem colocar nome nos bois. Se for escrever alguma coisa, cuidado para alguém não achar que é para contestar ou sacanear o chefe ou algum colega de trabalho. Não nade contra a corrente. Ame tudo e todos. Ache o fulano uma simpatia. Esse é o caminho mais fácil para vencer na terra do carnaval, das máscaras e fantasias.

domingo, janeiro 25


Por que o Bill Murray é tão engraçado?

Nem é tanto assim, reconheçamos. Já a platéia que viu “Encontros e Desencontros” no Estação Ipanema não podia ver o ator que caía na risada. Bill Murray abria uma cortina, risos. Bill Murray deitava para dormir, gargalhadas. Levantava da cama, risadas. A coisa só começou a mudar quando o filme mostrou que não era bem uma “comédia super divertida, gente, eu ri muito”. Com isso, ficou claro que o ator não estava fazendo graça. E sim, cuidando da vida perdida de seu personagem com sarcasmo e ironia.


Ha!


É por isso que a escolha de Bill Murray para o papel de Bob Harris - um ator que está no Japão para gravar um comercial de uísque - é perfeita. Um ator dramático iria, com certeza, ser piegas e estragar o tom delicado do filme. O forte da atuação de Bill Murray é, justamente, a tristeza e a solidão de seu personagem que só são notadas através do bom humor e do cinismo do ator. Meryl Streep não faria igual.

"Encontros e Desencontros" ganhou 3 Globos de Ouro ontem (incluindo o de melhor ator para Bill Murray).


Falando em Globo de Ouro...

* Pra quê homenagear a carreira de Michael Douglas? Convenhamos, é como reconhecer talentos como o da apresentadora Angélica e do cantor Dinho Ouro Preto, do Capital Inicial. Só consigo pensar em premiar o Michael Douglas por ele ser um colega de profissão, boa gente, que sempre fez um trabalho direitinho, apesar de nunca ter se destacado. E poxa, ele é filho do Kirk e já se esforçou muito. Vamos dar um prêmio pra ele.

* Já o acerto do Globo de Ouro foi não ter dado o prêmio de melhor série para "Sex in the city". As amigas, que costumavam se encontrar para falar sobre suas experiências sexuais viraram, ao longo da série, bichas loucas frequentadoras de desfiles de moda à la novela da Globo. O seriado leve ambientado em Nova York virou uma espécie de noites fabulosas, cheias de glamour e excitação em uma cidade cosmopolita como a de Nova York, onde o fervo, o agito e o sexo....ZZZZ

* Sobre a Renee Zellweger, o mundo ainda vai se arrepender por chamá-la de atriz. Logo logo alguém vai descobrir que ela não atua, assim como descobriram que o Milli Vanilli não canta.

quinta-feira, janeiro 22


Paris - Rio

O Fashion Rio mal começou e já tá supimpa. Sabe quem, segundo o portal Terra, vai desfilar para a grife Colcci amanhã? Essa aqui do lado: Paris Hilton, a mulher mais tosca dos EUA, a Preta Gil norte-americana (a única diferença entre as duas é que a gringa é milionária, branca e mais magra que a Barbie). E o que Paris Hilton tem de tão interessante para desfilar aqui? Porra nenhuma. Não é modelo. É famosa por ser rica, falar merda, estar sempre bêbada, drogada e aparecer em premiações. A riquinha sem-noção, que encabeça a lista das mais mal vestidas do mundo (é por isso que ela desfila pela Colcci?), ficou mais "famosa", recentemente, quando seu ex-namorado espalhou pela internet um vídeo dos dois trepando. Coisa boba...

E com isso já dá pra perceber a diferença entre a semana de moda do Rio e a de São Paulo. As convidadas da cidade maravilhosa são putas e as de São Paulo fingem que não são. Tudo uma questão de classe. Ah, pra quem quiser saber o que acontece nos bastidores do evento, vai no João Ximenes Braga que tá lá no MAM, fazendo várias atualizações diárias. We are the goon squad and we’re coming to town. Beep-beep. Paris Hilton, eu te amo. ass. Phelipe

quarta-feira, janeiro 21



Medo!

segunda-feira, janeiro 19


Telma, o Tião não é gay

Os jornais precisavam de assunto para o feriado de amanhã: o de São Sebastião, no Rio de Janeiro. Como cai numa terça-feira, não teria como falar sobre o trânsito nas estradas; afinal, ninguém viaja. Mas logo veio a matéria. Depois de Ancélmo Gois ter falado que a boate gay LeBoy imprimiu em seus flyers a imagem do santo para promover a festa "São Sebastião Night", os padres cariocas ficaram em alvoroço. Aliás, você leu esse nome? São Sebastião Night... Ok, qualquer um ri disso. Imagino que, no Natal, a boate faça a festa "Jesus Cristo Night". Ou na Páscoa, a festa....ok, chega.

Quem não achou graça em nada disso foi a Arquidiocese do Rio, que recriminou a festa: "É uma irresponsabilidade aliar a veneranda imagem de São Sebastião a um gay. É um tratamento ofensivo, desrespeitoso e totalmente recriminável", protestou o cardeal-arcebispo dom Eusébio Scheid.

Já era. Os cinco mil flyers, que exibem a imagem de um modelo, já foram distribuídos pela cidade. Se o dono da LeBoy resolveu argumentar a declaração do arcebispo? Se ele soltou frases de efeito à altura? Não. Segundo o jornal O Globo, o proprietário da boate, Gilles Lascar, disse: "Promovemos vários eventos aqui, muitos são polêmicos, sim. Algumas polêmicas são propositais, outras, não. Com essa, nossa expectativa é de casa cheia", disse.

O jornal ouviu mais pessoas:

- Eu não usaria uma imagem dessas por respeito aos católicos, o mesmo respeito que quero que a Igreja tenha conosco - diz o fundador do Grupo Atobá, Paulo Cezar Fernandes.

- Não se pode confundir a iniciativa da boate com atitudes do movimento gay. Nós preferimos lutar por cidadania e nos manter longe de brigas religiosas - opina o presidente do Arco-Íris, Cláudio Nascimento.

- Tem flyer pra mim? Queria entrar de graça... - pede o cantor Jorge Vercillo.

- Qual é a faixa etária lá? Os meninos são novinhos? - pergunta um padre que preferiu não se identificar.

- Eu ia colocar o título desse post de "Amém, caralho!", mas achei que seria indevido - confessa Phelipe.

domingo, janeiro 18


Grin-go to Rio


- Let´s have a caipiriña! Then we go to the beach, then caipiriña again. After the sun burn, shower @ the hotel, then capiriña again and Help with the black girls. Woo Hoo!

quinta-feira, janeiro 15


Peixinho meu cu!

Eu andava reclamando da vida. E ainda não me sinto satisfeito, pra falar a verdade. O mau-humor quando aparece, me irrita muito. Não gosto de estar assim. A inquietude tomou conta do trabalho e de tudo. Quero as coisas do meu jeito. Só que não sei o que quero realmente. Simples, né? Estou aqui, tranquilo na minha segunda-feira (o dia, pra mim, não tem cara de quinta) e, para piorar, uma secretária evangélica do trabalho aparece na sala. Acabo de assinar as idiotices que trouxe e, do nada, ela vem me dizer que temos que ser gratos por tudo que temos, mesmo esse tudo sendo pouco. Que Deus fez tudo certinho pra gente. E completou: “Ele pôs os peixinhos nos laguinhos e nós estragamos tudo”.

Que se dane os peixinhos. Minha única vontade naquele momento era estragar a cara dela. Se Deus fez aquela voz irritante e ainda encaixou naquele corpo gorduroso e suado, alguma coisa ele fez de errado. E aquilo precisa ser destruído pelo bom senso humano. Não, peraí. Pensando bem, ela nasceu perfeita: um bebezinho pelado, fofo e puro. O monstro que vi (e ouvi) foi ela que criou, se cobrindo com roupas horrorosas, aprendendo idiotices com pastores e, não satisfeita, passando os "ensinamentos" adiante.

Se isso fosse uma crônica para jornal, o imbecil-jornalista falaria que, de certa forma, aquelas palavras saídas da boca mal depilada da secretária evangélica serviam de lição para um dia considerado ingrato. Pode até ser verdade. Mas será mesmo que aqueles dizeres que simplificam a vida, pedindo para sermos gratos por tudo que temos são realmente o caminho para a realização? Será mesmo que estar insatisfeito é perda de tempo? E que lutar por melhoras é uma tentativa inútil, já que a vida é essa e é linda assim? Não. Por favor. Não sou idiota (ou brasileiro) o suficiente pra engolir tudo e ainda sorrir como ela. Nem tenho tanto bigode...

quarta-feira, janeiro 14


Joana faria de tudo para ter Júnior. Ia dormir pensando em Júnior e acordava por causa de Júnior. Tramava, como vilã de novela das oito, planos para conseguir sua atenção. Após uma choppada da faculdade em que bebeu demais, conseguiu dormir na casa dele. "Eu não tô conseguindo andar, cara", disse pra ele. E por lá ficou. De madrugada, tentando não fazer barulho, entrou no quarto de Júnior. Dormindo de cueca ao lado de Roberta, o garoto parecia estar morto. Tinha bebido demais. Se uma bomba caísse no local ou alguém chupasse seu pau, ele nem acordaria. Assim Joana se convenceu.

Depois de inúmeras conversas por telefone com as amigas, descobriu uma traição de Roberta, a atual namorada de Júnior. “Vou fazer a amiga e contar tudo pra ele”, falou, em frente ao espelho, enquanto passava toneladas de creme no cabelo. No mês seguinte, tinha Júnior em suas mãos. Estavam namorando. Viajaram para Búzios com a família dele. Foram ao casamento da prima em Maceió. Joana praticamente morava na casa dos pais de Júnior. No aniversário dele, chorou. O namorado tinha ganhado do pai o Pegeout que ela tanto queria.

Casaram com comunhão de bens. Tiveram filhos. Júnior trabalhava com o pai. E Joana pensava em abrir um negócio. Enquanto a idéia não vinha, abriu o que podia para os amigos do marido. “Ai, gente, não me olha assim. Eu amo o Júnior acima de tudo, mas é que eu fico lá sozinha e os amigos dele vêm nadar na piscina e aí já viu, né?”, disse para as amigas enquanto almoçava no Gula-Gula.

Naquela noite, Júnior ia viajar para São Paulo. Joana ia ficar sozinha o fim de semana inteiro. Despediu-se do marido, pegou um pote de sorvete e ligou a televisão. Passava o clipe da Avril Lavigne. Joana pôs-se a chorar. Chorou muito. Soluçava. Chegou a engasgar com o sorvete. Babou, borrou a maquiagem. As amigas ligaram. Tampou o celular na parede. Saiu pela casa derrubando os vasos de porcelana, quebrando copos e tacando cadeiras pela janela. Foi pra varanda e pulou do décimo-terceiro andar. Não ia sair com as amigas com aquele cabelo duro que tinha. Odiava a Avril Lavigne por isso.

terça-feira, janeiro 13


segunda-feira, janeiro 12


30 segundos para Bush

Os filmes são sobre Bush e seu governo. Todos com 30 segundos, sendo veiculados pela internet. Os curtas serão premiados pelo pessoal do site Bush in 30 seconds, que divulga os vencedores ainda hoje. Quem vai avaliar os melhores vídeos? Michael Stipe (do REM), Michael Moore (de 'Tiros em Columbine'), Gus Van Sant (de 'Elephant'), a atriz Janeane Garofalo entre outros. Tem muita coisa legal por lá.

domingo, janeiro 11


Você é uma escritora bem-sucedida...

Seus livros de ficção com assassinatos e investigações foram todos best-sellers, mas, ultimamente, você anda descontente. Queria poder escrever algo diferente. Dito isto para seu editor, ele resolve te ajudar. Empresta a casa de campo que ele tem na França, onde você poderia, tranquila, ter novas inspirações e, quem sabe, escrever um livro diferente. E assim você vai.

Depois de um dia de tranquilidade no casarão com piscina e o surgimento de um novo livro, chega um hóspede inesperado: a filha do editor, uma espécie de Mariah Carey que, durante sua estadia, anda pelada pela casa, bebe, dá festas de madrugada e traz homens pra fuder à vontade. É mais ou menos assim que começa "Swimming Pool".



- Bitch!

sexta-feira, janeiro 9


O Casamento de Muriel e de meu melhor amigo, Peter Pan

Eu sei que "Casamento de Muriel" ele nunca mais vai fazer. A comédia, uma das minhas prediletas, é redondinha, tem personagem central cativante, tons certos de drama e, como todo filme legal, sabe contar uma boa história. O responsável pela sua direção é o australiano P.J.Hogan que, logo depois de casar Muriel (a excelente atriz Toni Collette) em seu primeiro filme, casa Julia Roberts no blockbuster americano "O casamento de meu melhor amigo". O filme também traz, no elenco, Cameron Diaz e Rupert Everett que, até então desconhecido pelo grande público, acaba roubando a cena das duas e caindo nas graças de Hollywood.

A filmografia de P.J. Hogan é curta. Após esses dois filmes, repetiu a dobradinha com Rupert e o colocou junto com Kathy Bates, na comédia "Amor à toda prova". Agora, nos cinemas, exibe a sua versão de "Peter Pan" que, segundo O Globo e a revista Veja, é excelente. O filme é fiel à fábula: é estrelado por um menino loiro de 14 anos que não quer crescer. “Peter Pan”, segundo o jornal O Globo, "contém doses de romance e sexualidade que chegaram a ser criticadas por alguns especialistas e telespectadores nos Estados Unidos e na Inglaterra". Eu fiquei sabendo que, em uma das cenas, Peter Pan, depois de pular muito pela Terra do Nunca, vai descansar na cama de Michael Jackson.


No fim de semana do Accioly, eu vou pro cinema

O boato que rola aqui na cidade é que a Prefeitura do Rio vai proibir o festival de Hip Hop "Manifesta" - que acontece hoje e traz os rappers Ja Rule e Snoop Dogg - por não possuir uma boa "infra" para a segurança de todos. Pois é. Um boato idiota para um festival idiota, com artistas idiotas, que vem gerando matérias em jornais com discussões idiotas e que só vai ser visto por brothers irados (e aqui eu não preciso repetir a palavra).

Mas olha, é legal o que o Accioly anda fazendo pela cultura da cidade, promovendo festivais de hip-hop, trazendo de volta o "Noites Cariocas" e criando restaurantes legais.

Ah, não! Eu não queria falar dele assim. Queria lembrar que ele já comeu a Adriane Galisteu. Que já bombou naquela buceta-gasta até não querer mais. Lembro também de ler que, quando eles foram pra Angra em lua-de-mel, a Hebe wannabe só tomava coca-light e as poucas latinhas da cidade tinham acabado. Accioly teve que pegar a lancha e comprar caixas e mais caixas do refrigerante pra Adriane Galisteu. Que meiga, né? Mesmo com toda essa dedicação, não deu certo. Agora, Adriane, em sua busca incessante pelo amor, namora o Dado-machadinha-Dolabella. Casal de futuro, certo?

Mas o mais legal de senhoritas como Galisteu e Gimenez é que elas inauguram, no Brasil, o que Pamela Anderson e Carmem Electra já faziam, há tempos, nos EUA. Mulheres sensuais, inteligentes e famosas do showbizz (muita tosse nessa hora) que acabam namorando caras com dinheiro que se amarram em "Velozes e Fuirosos". Isso. Assim como elas amam a Hebe, eles amam o Vin Diesel. Suspiro: eu entendo porquê Michael Jackson, assim como Peter Pan, não quer crescer.

quarta-feira, janeiro 7


Celebridades e Política: afff

A história de celebridades apoiando políticos, pelo menos no Brasil, é muito engraçada. Lembra da Cláudia Raia com o Collor? Depois do escândalo da roubalheira com PC Farias, a ex-mulher de Alexandre Frota (eu não esqueço) ficou quietinha e, acredito eu, com muita vergonha. E a Regina Duarte? Lembra dela? Tá trancada na geladeira da Rede Globo, por muito tempo, ainda sofrendo pelo medo que sentiu de Lula na época das eleições.

Agora, com as eleições norte-americanas, a gente vai poder ver a Madonna pagando mico. Ou não. A cantora publicou em seu site oficial, na seção "News", uma carta de apoio ao democrata Wesley Clark, candidato à presidência norte-americana contra Bush. No MadonnaOnline tem a tradução da carta e, de brinde, um protesto contra a cantora tão profundo quanto a noção de política da mesma. Como disse Tia Regina, "sabe, eu tenho medo".

segunda-feira, janeiro 5


O que David Bowie e Seu Jorge têm em comum?

O músico carioca está no novo filme de Wes Anderson (aquele dos "Excêntricos Tenenbaums") chamado "The Life Aquatic". No filme, Seu Jorge faz o papel de Pelé dos Santos, um jogador de futebol que também é segurança de Bill Murray e que, nas horas vagas, faz música. E é aí que entra David Bowie. O cantor inglês assina a produção musical do filme, junto com Seu Jorge, e já autorizou as versões em português que o ex-integrante do Farofa Carioca fez para inúmeras músicas suas. Dentre elas, "Suffragette City", que, segundo Seu Jorge, foi a versão predileta de Bowie. Chique, né? Favela-chic!

Já a música de Seu Jorge, adorada na Europa, foi vista no Brasil somente como uma roupagem moderna para o samba-esquema-novo de Jorge Ben. Verdade ou não, nós (brasileiros) não sabemos (nem podemos) aproveitar talentos como este. Fernando Meirelles, diretor de "Cidade de Deus", soube. E foi por causa de "City of God" que Sir George -no papel de um trocador de ônibus que vira criminoso- caiu nas graças do cinema internacional.

Assim parece que estou endeusando o negão. Não. É que num país onde quem atua bem é o Murilo Benício e quem faz música boa é a Sandy, fica claro que pessoas legais como o Seu Jorge não têm espaço. Que papel ele teria em uma novela?

O final da história (ou o começo) é óbvio: carimbam "Made in Brazil" na testa dele e mandam pro avião. Para gringos, Seu Jorge é um produto brasileiro que eles nunca irão conseguir produzir. E para nós (mulatas) é mais uma amiga que parte. Tá, não teve graça.

Seu Jorge foi, mas volta. E ainda pretende trazer David Bowie para um show no Brasil, ainda este mês. O gringo quer vir, só precisa ver a agenda dele. O filme, que já está em fase final de produção, pelo visto, criou amigos. Sobre a atuação de Seu Jorge, o jornal francês "Le Monde" disse: "é um ator de cinema prestes a se tornar estrela internacional". Só quero ver. E ouvir.

domingo, janeiro 4



eu sou assim, tia...

Fim de ano com os pais é até legal. Comida pronta quando você acorda, roupa sempre limpa, casa que não fica suja e cama arrumada quando você chega. Mas coisas como ver o DVD novo da Bjork e alguns clipes do David Bowie não dão pra fazer. Você acaba desistindo depois de ouvir comentários do tipo: "por que ela é assim?", "como você pode gostar disso?", "bem, vem cá ver o que o seu filho gosta"... Pensando bem, quem não conseguiu ver foram eles. Agora, sozinho de novo, dá pra ouvir música alta. E ficar sem comer. Então: magro e feliz.

sexta-feira, janeiro 2


ERRO DE DIGITAÇÃO?


Ou o pessoal da NME é tudo engraçadinho?