<BODY> philipinas: Dezembro 2003

domingo, dezembro 28


Por que o 28 de dezembro é importantíssimo?

Foi neste dia, há 4 anos, que os idosos, gestantes, portadores de deficiência física e pessoas com crianças de colo ganharam um assento preferencial no metrô, de cor laranja. Calma. A importância vai aumentando. Em 28 de dezembro do ano passado, acharam uma cadela adulta muito bem tratada, em Cascais, Portugal. E em 28 de dezembro de 1934, a atriz inglesa que já nasceu velha, Maggie Smith, veio ao mundo:



"Oh, God darling - one's nothing off."


Mas o que este dia traz de mais importante é o nascimento de uma pessoa muito linda e que canta muito e que dança muito e que tem uma presença muito linda, gente. Sem falar no sorriso muito juvenil e sensual ao mesmo tempo, sem ser vulgar. Em 28 de dezembro de 1982, a vagina de uma sertaneja cospe para o mundo mais um integrante do clã Di Camargo: a pequena Wanessa. Uma chubby little thing que hoje é considerada a cantora mais sexy do mundo. Que dia maravilhoso! Vamos comemorar!

sexta-feira, dezembro 26


Listas de Fim de Ano

Vem o final de ano e as listas aparecem. Melhores discos do ano, melhores filmes do ano e por aí vai. Os sites de busca internacionais (Lycos, Yahoo e America Online), por exemplo, disseram quem foi a pessoa mais procurada do ano: Britney Spears. A cantora vinha caindo na colocação, mas depois do beijo em Madonna, foi para o segundo lugar, só perdendo para o site Kazaa. Já a Erika Palomino fez uma lista com os 20 singles mais legais de 2003. Dentre as músicas, "Burning Down" do Tiga em primeiro lugar e outras de Beyoncé, White Stripes, Peaches, The Rapture e Richard X.

Richard X também está na lista dos 50 melhores álbuns do ano, feito pela revista RollingStone. Assim como os discos de White Stripes, Rufus Wainwright (muito bom), 50 Cent e Beyoncé.

Aliás, o disco do DJ inglês Richard X, "Presents His X-Factor Vol. 1", foi bem lembrado. O cara traz participações legais como a de Kelis (na excelente "Finest Dreams) e Deborah Evans. O resultado é um disco que vai além das ondas de bootleg. Músicas completamente diferentes em uma só (assim como os bootlegs), mas cantadas por cantoras "in" e vestidas com sons atuais, fazendo um álbum pop de primeira qualidade. Bom pra dançar, bom pra deixar tocando e bom pra cantar. Assim como um bom pop tem que ser.


Mas voltando às listas, eu também tinha que fazer uma:


AS 10 COISAS MAIS CHATAS DE 2003:

1º lugar: Cinema Nacional

"Cidade de Deus" foi legal e o pessoal acabou se empolgando. A Globo Filmes, então, fez os piores do ano (por mais que tentem nos convencer do contrário). Filmes como "Carandiru", "Os Normais", "Maria, mãe do filho de Deus" e todos os da Xuxa são horrorosos. E cuidado: "Sexo, Amor e Traição", do Jorge Fernando, vem aí. Eu tive o desprazer de ir na pré-estréia e tenho, como obrigação, alertar vocês: nem pensem em ver. Passem longe do cinema. Apesar de ter um elenco apetitoso, o filme é igual ao diretor: espalhafatoso, exagerado e crianção. Quando decide ser sério - numa cena em que as personagens falam sobre aborto - faz a gente chorar. Não de emoção pelo tema complicado da gravidez indesejada, mas pela pobreza dos diálogos. Quando você se conforma que o filme é uma merda, a coisa piora: a Betty Faria aparece.

2 º lugar: Governo dos Garotinhos

Quem mora aqui, sabe. O casal 20 acha que cuidar da capital do Estado é como governar as cidades do interior. Censuram jornalistas, proíbem festas, fuçam em consumação mínima de boate, atrasam salários e abrem processos contra artistas. Deu medo e, pelo visto, vai continuar dando.

3º lugar: Britney

A música é pentelha. Ela é pentelha. Britney é um xerox mal feito da pior parte da carreira da Madonna, com todas aquelas dancinhas americanas cafonas e aquela barriga de fora. Alguém tem que dizer que ela é gorda, pô.

4º lugar: Michael Jackson pedófilo

A história encheu o saco o ano inteiro. Cansou. Prendam o cara de uma vez e chega de matérias recapitulando a história da aberração do pop.

5º lugar: 50 Cent

Não achei o disco bom. Não entendo o porquê do cara. O som é cópia de Snoop Dogg adolescente e lembra o pior do Gangsta Rap. Coisa de maconheiro chato carioca. 50 Cent é tão entediante quanto Britney, Christina Aguilera, Eminem, Avril Lavigne e qualquer outra música teen "irada".

6º lugar: Jornal do Brasil

Dá tristeza ver. Tá magro, tá doente, nem toma banho. Você pega e ele suja a sua mão. O Caderno B, por exemplo, só tem propaganda e colunistas. Falta jornalista e sobra perua falando sobre festinhas. Virou um fotolog impresso.

7 º lugar: Fotolog

É um labirinto. Hipnotiza. Você vai de link em link e acaba conhecendo a vida de cada um (no caso dos flogs nacionais). Se isso é interessante? Pode até ser, mas nunca gostei de colunismo social. O mais trouxa disso tudo é reconhecer alguém na boate por já ter visto em fotolog. Mas aí você pergunta porquecargasdágua eu tenho um fotolog, então. Ué, não posso ser uó também? "Oi, acho que eu te conheço. Você não é o /escapismo?"

8º lugar: Gugu e Hebe

Os dois do SBT que mais pagaram mico em 2003. Gostei.

9º lugar: Ana Carolina

Eu não sou lésbica o suficiente pra gostar dela. Aliás, alguém conhece alguma lésbica que não goste dela? A mulher tem um violão pentelho pra caralho, uma voz irritante e uma cantoria à la Maria Bethânia. Sem falar nas letras cafonas que trazem imagens assustadoras, como a de "Nua": "Eu vou contar pra todo mundo, eu vou pichar sua rua, vou bater na sua porta de noite, completamente nua, quem sabe então assim, você repara em mim."

10º lugar: Meu cu

Ele é gordo!

quinta-feira, dezembro 25


O mais chato do fim de ano são os outros querendo saber "como foi de festa". Nunca sai nada de interessante desse papo. A maioria passa com a família e as respostas são sempre as mesmas: "Nossa, comi muito". Então, não vamos falar de Natal. Aqui, nós seremos criativos. Falaremos sobre o Ano Novo. E aí, onde vocês vão passar?

sexta-feira, dezembro 19



Em 2003, Madonna encontrou a Rainha Elizabeth

quinta-feira, dezembro 18


Natália combina com Natal

- Vânia, você vai passar o Natal com a sua família?
- Vou sim. Tô indo pra Alagoas dia 23.
- Ai, posso ir contigo?
- Claro que pode!
- É que lá em casa tá complicado. Acho que eu não sou bem-vinda na ceia desse ano.
- Que horror, Natália!
- Pois é... Vendi o carro do meu pai sem ele saber. Deu mó rolo. Falsifiquei a assinatura da minha mãe e passei alguns cheques sem fundo e meu irmão avisou que vai me dar porrada se eu aparecer por lá. Também, o caso dele é o mais complicado. Eu sujei o nome dele e da namorada dele no SPC. Mês retrasado eles compraram meus móveis, meu computador, mas eu não consegui pagar as parcelas. E o pior ele nem sonha: a namorada dele, muito boa, já foi pra cama comigo.
- Poxa, mas nessa época existe o famoso espírito natalino, onde as pessoas perdoam os pecados de todos. Você tinha que ligar pra eles, conversar direito. Afinal, é a sua família.
- Espírito Natalino, Vânia? Isso não existe. Mas tudo bem, já entendi tudo. Você não quer mais que eu vá contigo. Tá com medo que eu faça alguma coisa com a sua família? Pode ser sincera comigo.
- Não, não, nada disso. Não é isso, Naty...é que eu me preocupo com você.
- Ah, todo mundo se preocupa.
- Olha, é claro que você pode passar o Natal comigo. Vamos viajar juntas então. Agora tira essa tristeza do rosto. Você é talentosa, tem um mundo pra ganhar. Vamos começar o próximo ano com o pé direito e desejar muitas felicidades pras nossas vidas. Novos rumos, novos caminhos...
- Poxa, Vânia... Você é a única amiga que eu tenho. A única que me entende.
- Ah, pára com isso. Não precisamos analisar nossa amizade (Vânia dá um abraço forte na amiga de trabalho).

O Natal em Alagoas foi ótimo. “Ela é muito simpática, animada, cheia de alegria”, disse Dona Ângela, mãe de Vânia. Natália ajudou nos preparativos da ceia e chorou quando deu meia-noite. Mas tratou logo de se animar. Colocou o CD Acústico do Zeca Pagodinho para tocar e todos dançaram. A mãe, ao se despedir da amiga da filha, disse: “Volte sempre, meu anjo. Natália combina com Natal”, sorriu.

Voltaram para o Rio no vôo do dia seguinte. Mas ao desembarcar, a polícia já esperava por todos. Motivo: Vânia estava morta. Ao interrogar Natália, o delegado ouvia atentamente: “Eu fui parar no cu do mundo e me deram meia de presente. O nojento do pai dela passou a mão na minha bunda e a mãe dela pegava a comida com a mão. Sinceramente, gente... a Vânia tinha uma vida medíocre. Não soube escolher amigos, tinha pais idiotas, não sabia se vestir”, arrotou. “Ai, desculpa, aquele pernil tava estragado. Tenho certeza”.

terça-feira, dezembro 16


Pô...

Hoje eu bati um papo com o técnico de informática aqui do trabalho. Ele só tinha que trocar o meu disco A que não funcionava, mas resolveu perguntar sobre a minha vida, meus estudos e meu futuro. Rotina, né? Afinal, quando você acaba de conhecer alguém, é de se esperar que a pessoa pergunte tudo isso. Quando o assunto foi jornalismo, ele perguntou:

"Pô, aí... Essas pessoas tipo o William Bonner têm que ser formadas em jornalismo pra poder trabalhar lá na Globo?" Ouvindo um "provavelmente sim" como resposta, ele não resistiu e "gritou": "Pô, você precisa fazer uma faculdade só pra falar na televisão?"

Sabe, eu tenho medo. Não só o cara do suporte deve pensar assim, mas também todos aqueles responsáveis por tirar a obrigatoriedade do diploma de jornalismo para exercer a profissão. Será que qualquer um que fale pode mesmo ser apresentador de telejornal? Ou qualquer um que escreva pode ser jornalista ou romancista?

Bom, se assim for, qualquer um pode ser cantor, pintor ou dançarino. Ih, não é que é verdade? Só assim eu consigo entender os Jorges Vercilos, Romeros Brittos e Carlas Perez.

Mas o meu amigo já estava de saída. "Tô vazando, "brother". Consertou o problema e ao assinar "umas paradas aqui que têm que assinar", escreveu que o disquete estava "suspenço" na placa. E que, por isso, não funcionava. Achei legal. Se pra ser jornalista basta saber escrever ou falar, pra ser "micreiro" então...

segunda-feira, dezembro 15


Como assim?

Nu antigo é sempre engraçado, mas os que vi aqui passam do limite.
Tá, tem uma velha lá fumando pela vagina. Onde que isso é sexy?

domingo, dezembro 14


"Ladies and Gentlemen, we kicked her"

Heloisa Helena acreditava que podia mover montanhas. Acreditava em seus princípios. Mesmo nadando contra a corrente, estava satisfeita, pois, para ela, aquele era o caminho correto. Muitos a chamavam de radical. Heloisa continuava. Não podia acreditar que ninguém conseguia ver o que ela via com tanta clareza e convicção. É óbvio que o mosquito, sempre fazendo o mesmo barulho, acaba levando um tapa e caindo. Heloisa Helena, recém expulsa do PT, estava atrapalhando o banquete daqueles que estavam satisfeitos com o almoço (nossa, me orgulho das minhas comparações). Bom, pelo visto, não existe cair. A mulher, agora, anda fazendo palanque, gritando, reclamando. Não sei de onde vem tanta energia. Dos cabelos?

Mas admiro a luta da Heloisa. Faz lembrar o operário Lula no começo. Só que o então presidente aprendeu que ser maleável é a solução para se conseguir o que quer. Não seria a hora de surgir, também, uma "Heleninha Paz e Amor"? Sinceramente, quantos aqui acham que ela transa regularmente?

Por último, quem quer saber de Helô quando se tem um Saddam? Não pretendo falar dele aqui. Meia-hora de CNN e BBC já me esgotou o assunto. Legal, conseguiram pegar o cara. Agora só falta o Bush.

sexta-feira, dezembro 12


Mais asteriscos...

* Os produtores do "Rei" andam preocupados. No Natal passado, a venda dos discos de Roberto Carlos não passou de 1 milhão. Neste fim de ano, pretendem ultrapassar esta marca. Por isso, andam prendendo diversos CDs piratas pelas ruas. Na capa do JB de quarta-feira, lembro de uma foto que trazia armas em cima de discos do Roberto Carlos, ambos apreendidos pela polícia.

Ora, esse povo vai aprender quando? O "Rei" (de vocês), se quiser fazer dinheiro como antes, vai ter que fazer shows. O mesmo conselho vai para qualquer artista que reclama de pirataria. A mamata acabou. O povo não quer pagar caro. Achou, na pirataria, a solução. Descobriu, também, o mp3. Uma vez assim, não tem como voltar atrás. Nem proibir. Artistas como David Bowie e Prince, por exemplo, são totalmente a favor da música rolando solta na rede. Robbie Williams, em Cannes, falou: “A pirataria é genial. Eu mesmo a pratico”. Causou tumulto. E completou: "A minha música quer ser ouvida. Copie meus discos quem quiser. O dia que não estiverem copiando é que vai ser um problema", disse o cantor que, recentemente, prometeu ficar nu se 1 milhão de pessoas entrassem em seu site oficial. Recebeu milhares de page views.

* "Ela me disse que só tem tesão por mulheres sem peito”, disse Rita Lee, no "Saia Justa", falando de Fernanda Torres e saindo em defesa das mulheres despeitadas do Brasil.

* Fui lá no CCBB ver a 'Africa'. Bem produzida a exposição, bem interessante. Mas as obras não chamam tanta atenção. Talvez por serem tão comuns no Brasil. Qualquer lojica do Nordeste, ou aqui do Rio de Janeiro mesmo, tem esculturas semelhantes. Numa das seções que trazia reis e rainhas africanos, pude ver a família de Heloísa Helena, por exemplo.

* Fico impressionado com a quantidade de gente vindo pra praia quando eu to indo trabalhar. Esse povo não trabalha? Olha, é muita, mas muita gente mesmo. Todos de biquíni, levando cadeira, toalha... E normalmente, gente que precisava estar trabalhando.

A estagiária daqui, por exemplo, saiu direto pra praia de nudismo: “Mas não vou ficar pelada não. Não sou maluca”. Olha, se ela já descobriu a tal praia depois da Barra, é bem provável que a imprensa descubra também. Os pais cariocas não vão gostar de saber que seus filhos andam pelados em praias. E virando notícia, não vai demorar muito pra que algum advogado gordo e de pinto pequeno queira acabar com a putaria do verão.

* Mart´nália, minha vizinha, também reclamou: “Não se pode dar um peido nesse prédio que alguém interfona dizendo que fez barulho”. Apoiada!



Beyonce e mais 30 clones se apresentaram durante o Billboard Music Awards, nesta quarta-feira. Foi a grande vencedora da noite.

quarta-feira, dezembro 10


Erguei as pernas e dai...

Pra tudo, há um limite. O Padre (de vocês) Marcelo Rossi resolveu fazer um novo filme. Depois do bom resultado de "Maria - A mãe de Deus", Marcelo se empolgou. Pretende filmar outro longa-metragem no ano que vem, com os mesmos produtores do sucesso anterior. O Padre é um sucesso. Além de ser um estrela de cinema, "canta" e "dança". O seu primeiro filme foi assistido por mais de dois milhões de espectadores.

Olha, eu não consigo entender. Já entendo a Xuxa e isso já me assusta. Mas esse padre... Alguém pode me explicar? Marcelo Rossi é um retrato da cegueira católica brasileira, da burrice e do mau gosto do povo. É representante de uma igreja que, entre outros absurdos, diz que homossexualismo é doença e condena o uso da camisinha. Mas isso não vem ao caso. Estamos aqui para avaliar a sua carreira cinematográfica; que é excelente. Não é?

terça-feira, dezembro 9


Olha só...

* O festival de cinema MixBrasil chega ao Rio depois de dez edições em São Paulo. A farra de curtas, documentários e filmes começa hoje e vai até domingo (dia 14), no CCBB. A grande atração do festival é o tão esperado "Party Monster", com Macaulay Culkin e Marylin Manson; filme que conta a história dos "club kids" que agitaram a cena nova iorquina dos anos 90. Mas olha que legal: só será exibido para convidados. É como uma festa em que todo mundo pode ir, mas na hora de comer o bolo, só podem os amigos do aniversariante. Quem sai de casa sabendo disso?

* Nem te conto: a Xuxa subiu no telhado.

* O disco que não dá pra parar de ouvir é o novo da Missy Elliot, "This is not a test". É impressionante como a mulher sempre acerta. Run for cover, motherfuckers!

* Não resisti. Baixei "Kill Bill", o último filme de Quentin Tarantino. Uma Thurman está sensacional! O filme é divertidíssimo, assim como a trilha sonora. Muito kung-fu à la Bruce Lee, muitas espadas, ninjas e cafonices. Em "Kill Bill", assim como em "Jackie Brown", há uma protagonista "matadora profissional". Só que no primeiro, ela é branca, dá gritinhos e luta kung-fu. No outro, ela é negra, não fala nada e usa uma arma. Outra diferença entre os filmes? Um é menor e melhor. O outro é maior e pior.

* Ah, se alguém souber onde tem "Party Monster" pra fazer download, me avisa. Pretendo queimá-lo em alguns CDs e distribuir na porta do CCBB: "Filmes, jogos, cedê-rum".

segunda-feira, dezembro 8



26 de novembro & 4 de dezembro

  - Alô? Madonna? Aqui é a Gwyneth. Eu também vou aparecer no Jay Leno. Você pode me emprestar aquelas suas botas e vestido pretos?
  - Claro, Gwy! O que importa é o amor que temos pela vida, pelo mundo... Mas olha, eu já usei essa roupa no mesmo programa.
  - Ah, não tem problema. Eu sou retardada...

sexta-feira, dezembro 5


Justin Timberlake é o novo Rei do Pop

Assim diz a última edição da revista RollingStone (a assim vai dizer pra qualquer um que esteja vendendo o tanto que o ex-integrante do NSync está). Mas quando pensamos em “King of Pop”, nos lembramos de Michael Jackson. E carregar esse título deve ser complicado para o garoto. Todos sabem como é ruim ser Rei ou Rainha seja lá do quê. Todos sabemos o escândalo que envolve um peido qualquer que esta realeza dá. Vide Michael Jackson (que não peidou, mas cagou). E recentemente a Sandy, que admitiu ter ficado bêbada com oito copos de caipirinha. Resultado: recebeu enxurrada de e-mail de fãs que reprovaram o seu comportamento. Teve que se desculpar, dizendo que aquilo é errado, etc. Pessoas como a Xuxa não cagam, certo?

Mas votando ao Justin, eu entendo a comoção que o envolve. E admito: a “popicidade” do garoto é incrível. Não só por ser o "gatinho da hora" que já namorou a "putinha da vez" Britney, mas também por sua música, que produzida por Pharrell Williams, nos faz lembrar os bons tempos de Michael Jackson em "Off the Wall". O que explica isso tudo é o fato das músicas serem, realmente, de Michael. A tia do pop, bondosa com loirinhos, deu para Justin algumas músicas que tinha produzido junto com (adivinha com quem?) Pharrell Williams. Quem conta isso é o site da rádio londrina BBC1. Saem as batidinhas teens do NSync e entra o swing r&b de sua carreira solo. Resultado: Justin com 5 indicações ao Grammy deste ano.



Falando em Grammy...

Quem lidera as indicações são Beyoncé, Jay-Z, Outkast e Pharrell Williams. O que me faz lembrar um colega que "reclamou" enquanto víamos o último VMA: "mas essas premiações só têm pretos". Eu não cheguei a bater nele. Como bom garoto compreensivo, calmo, tentei explicar que a música pop sempre foi música de preto. Em vão...

O pessoal do Outkast, meu favorito, tem o seu "Speakerboxxx/The Love Below" concorrendo com outro grande disco, o de Missy Elliot, "Under Construction" para melhor álbum do ano. Na briga, há também o “Justified” do Timberlake, o "Elephant" do White Stripes e o "Fallen" do Evanescence. Missy deve levar. Justin deve ficar com o "Melhor disco Pop".

A gravação do ano só pode ser "Crazy in Love", de Beyoncé e Jay-Z. Alguém tem dúvida? Prêmios (merecidos) também não devem faltar para os Neptunes. Já a melhor música dance tem como indicados: "Love One Another" da Cher, "Easy" do Groove Armada, "Come Into My World" da Kylie Minogue, "Breathe" do excelente grupo francês Télépopmusik e "Die Another Day" de uma famosa escritora de livros infantis. Difícil adivinhar essa. Mas se Madonna for à festa, o gramophone é dela.


Falando em Madonna...

Eu ia deixar passar em branco mas não consigo. A vontade de vender livro e ser fofa andam fazendo a cabeça da cantora. Até mesmo a música está indo pra esse lado. Como disse Gizele, "a cover tosca brasileira", no programa do João Gordo: "Madonna é uma PUTA profissional de marketing".

A minha birra é com o seu último videclipe feito para a música “Love Profusion”. Madonna corre como uma menina do extinto programa “Fantasia”, do SBT, por entre flores, peixinhos e fadinhas. Uma cafonice que dá medo. Preocupação com a imagem (marca registrada de seus vídeos) deve ser coisa supérflua diante deste grande universo em que o amor é o grande ator, certo?



eu sou amorosa


Bom, quem quiser baixar o comercial de "Bom Ar", protagonizado por Madonna e dirigido por Luc Besson (aquele de “O Quinto Elemento”), pode ir lá no MadonnaOnline. Beijos florais carinhosos e amorosos pra vocês.

quinta-feira, dezembro 4


Hmmm...

...bem crocante, com uma coca bem gelada.
Sim, minha cultura pop também abrange comida-porcaria.
Peraí, quem falou em porcaria? Esse sanduíche é maravilhoso!

quarta-feira, dezembro 3


Imagine um ambientalista suado, de chapéu, gritando ao microfone durante uma hora e trinta minutos. Agora imagine mais seis palestrantes de meio ambiente, que também falaram, cada um, por 45 minutos. Todos reunidos em um auditório, sem ar-condicionado, com mais de 300 estudantes, na baixada fluminense. Uma professora pede o microfone. Ela quer abrir o "circo de debates" (como ela mesmo diz) e acrescenta: "será aproveitador, pois os alunos são enganjados".

Eu mereço? Isso é trabalho? Isso é professora? Os alunos merecem?