<BODY> philipinas: Outubro 2003

quarta-feira, outubro 29


Ira de usuário

Entrou no prédio com um pedaço de madeira que encontrou na esquina. Achou que aquilo era o ideal. Pesado o bastante e grande o bastante. Ao passar pela portaria, foi barrado. Não demorou muito para a recepcionista cair no chão. A paulada em sua cabeça foi tão grande que chegou a arrancar alguns dentes. Os seguranças, que ouviram o barulho, correram atrás. Armando subiu correndo pelas escadas. No quarto andar, dois seguranças foram avisados pelo rádio. Desceram pelas escadas ao encontro do agressor e só encontraram os outros guardas: “Cadê ele, caralho?”

Armando tinha se escondido na sala de Recursos Humanos. Mas tinha que continuar subindo. Queria chegar no décimo andar. Lá que era a presidência. Antes, viu uma senhora enchendo um copo dágua no bebedouro. Raquetou a cara dela diversas vezes. Água prum lado, corpo pro outro. Funcionários saíam desesperados de suas salas. Armando gritava: “Vem aqui, seus filhos da puta!”. Os olhos do estudante estavam esbugalhados, vermelhos. Quando Armando gritava, cuspia. Tremia de raiva.

Parou no oitavo andar, onde ficava a sala do telemarketing, o seu segundo objetivo. Meteu o pé na porta e saiu correndo pelo pequeno corredor que se formava entre as inúmeras mesas das funcionárias. As meninas eram derrubadas como peças de dominó com o pedaço de madeira que golpeava suas cabeças. Uma tentou se defender. Subiu em cima da mesa e se pôs em golpe de caratê. Caiu de lá com fratura exposta na perna. Sangue por todos os lados.

Chegou no décimo andar. Arrombou a porta, passou pela secretária que tremia no canto da parede e foi recebido por um presidente muito calmo: “O que aconteceu, meu amigo? Eu posso resolver?” Armando trancou a porta. Explicou que não queria uma solução. Queria era destruir toda aquela merda. Já estava há dias sem conexão. Ia matar todos os funcionários da provedora de internet. Disse para o presidente:

- Tu é um incompetente filho da puta! Eu não quero meu dinheiro de volta. Muito menos dois anos grátis do seu serviço. Eu tô cansado dessa conversa e desse marketing nojento. Quero destruir esse seu provedor de merda e você! Tu vai apanhar até não conseguir respirar!

Largou o pedaço de madeira no chão. Aquele momento era especial. Tinha que ser com as mãos. Arregaçou as mangas e foi pra cima do presidente, que caiu no chão. Armando só parou de bater quando percebeu que ele não gritava mais. Quando sentiu uma ereção nas calças do executivo, saiu de cima. Foi carregado pela polícia minutos depois.

Na semana seguinte, Armando foi solto. O presidente, que pagou a fiança, ainda lhe ofereceu um emprego na seção de atendimento ao cliente. Convite aceito. O estudante não sabia fazer nada por lá. E assim não fazia. Só batia no presidente quando lhe era solicitado e viajava para o exterior todo mês. Tudo pago pelo chefe: “Nessa semana tem show do DMX em Nova York", acenava.

sexta-feira, outubro 24


* Eu leio sempre a coluna do João Ximenes Braga. E o blog, recentemente. Essa aqui dele, sobre a sua ida para São Paulo, é algo que eu sempre disse: "Continuo tendo sérios problemas de relacionamento com os nativos. Especialmente por um motivo. Não houve dia em que um paulistano a quem eu tenha sido apresentado por amigos em comum não viesse falar mal do Rio pra mim. E eu sou briguento. Independentemente de terem razão ou não, acho que é uma questão de delicadeza".

Lembra da garota mais bonita da escola? Então... as meninas (normalmente as feias) não tinham sempre alguma coisa ruim pra falar sobre ela? Acho que é por aí...

* Outro blog que eu também gosto de ler sempre é o da Marina W. Nem é só porquê ela adora a Madonna. Nem porquê ela fala de filmes bons ou tem notícias dos bastidores de Ipanema. Ah não, é por isso tudo sim.

* Ok, sejamos sinceros. A Madonna com a Britney não é nada legal. Sei lá, dueto com ela é uma coisa que nunca funcionou. Ainda mais com a Brtiney. Fica tudo muito trouxa.

* Momento infantil "eu vou": Os ingressos pra ver a Beth Gibbons já acabaram. Claro que o meu tá garantido. Uma voz assim a gente não escuta todo dia. Eu só espero que não tenha nenhuma bicha cantando alto do meu lado, assim como aconteceu no show da Bjork. Senão a cotovelada é que vai gritar.

* Desabafo de uma senhora desesperada que passou por aqui carregando umas pastas: "Se eu pudesse, eu matava essa internet". Vai entender...

* Corruptelas: Assim como o "vosmice" virou "você", eu tenho certeza que o "Me dá licença" vai virar "cença". Isso sempre fica na minha cabeça quando eu ouço. Normalmente ele aparece dentro dos ônibus. Quando uma mulher quer passar, você pode ouvir bem baixinho um "cença". Nem se ouve as vogais. Somente os dois "c", um atrás do outro.

Hoje eu tive o prazer de ouvir uma nova. Veio de uma garota que controlava a balança do self-service. O "bom apetite", dito várias vezes ao dia, virou "tite". Te juro! A menina, nada animada, quando me entregou o prato, pode ouvir o meu agradecimento, bem baixinho: "cado".

* Hoje é sexta-feira. Olha que beleza! Vou grudar!

quarta-feira, outubro 22


'O funk é a verdadeira música eletrônica brasileira'

"Parente distante do samba na alma preta, pobre e favelada, o funk, como lembra Marlboro, é filho direto da música eletrônica - primogênito aqui no Brasil, mas muitas vezes visto como bastardo.

- O funk não é reconhecido como música eletrônica. É engraçado, porque quando todo mundo estava ouvindo Legião e Titãs, no início dos 80, Kraftwerk e Afrika Bambaataa já eram sucesso nos bailes. Por isso, não entendo como um sujeito que ouve Peaches e Miss Kittin pode falar mal de Tati Quebra-Barraco - ironiza. E vai além: - O funk é a verdadeira música eletrônica do Brasil, com linguagem e características brasileiras. É uma coisa que o pessoal da cena eletrônica hoje tenta alcançar, o que até acho legal. Mas a gente está metabolizando há mais tempo."

Isso saiu no Globo de hoje. A noite do DJ Marlboro no Tim Fest (01/11), com a participação de Tati Quebra Barraco, promete. Uma reportagem igual a esta, em que o DJ fala que o som da funkeira carioca se parece muito com o da Peaches, já tinha saído no caderno de cultura do O Dia semanas atrás. E antes de todos eles, a gente já tinha falado disso aqui, né? Então...te mete com a gente.

terça-feira, outubro 21


Lá vem Madonna de novo

O tal beijo pariu alguns filhos. Pra todos os lados: alavancou a carreira de Britney Spears, rendeu a faixa "Me Against the music" (música da menina com a participação de Madonna) e a utilização da versão ao vivo de "Like a Virgin/Hollywood" - da tal apresenção com Missy Elliot e Aguilera no VMA - no novo EP da mãe de Rocco e Lola.

Sim, lá vem mais um disquinho de Madonna com 7 faixas, incluindo a inédita "Your Honesty" (que ficou de fora do Bedtimes Stories). O filhote de LP vai se chamar "Remixed and revisited" e terá remixes de "Nothing Fails", "Love Profusion", "Nobody Knows Me", "American Life" e "Into the Hollywood Groove" (aquela da Missy Elliot para a Gap). A data de lançamento é dia 25 de novembro (and counting).

A imagem aqui em cima é do clipe da Bitchney. O coreógrafo do vídeo (o mesmo da última turnê de Madonna) promete: "Me against the music vai ter muita energia, muita tensão. Vai ser um jogo sexual".

Lá vem elas de novo.


UPDATE: Claro, o MadonnaOnline já tem o download.

BAIXA ISSO:
Vídeo de Bjork cantando "Bachelorette" no Fashion Rocks tirado por este site. Vai demorar por que a qualidade tá excelente. Mas olha, tá tão bom...

sexta-feira, outubro 17


Príncipe Charles e Bjork no ´Fashion Rocks´


- Você não é aquela menina que foi de ganso e chocou um ovo no carpete do Oscar?
- Sim, mas isso é passado, Charles. Meu figurino hoje é "Diana Ross encontra o Fantasma da Ópera".
- Oh! Pretty good!


O evento beneficente Fashion Rocks, apresentado por Liz Hurley e assistido por Príncipe Charles e outras celebridades, acontece todo ano misturando desfiles de moda e shows de música em Londres. Modelos vão passando e cantores vão berrando.

Nesse ano teve desfile de Alexander McQueen com Bjork cantando "Bachelorette", Giorgio Armani com Beyonce "Crazy in Love/Baby Boy", Donna Karan com Duran Duran "Girls on Film", Matthew Williamson com Kelis cantando "Milk Shake" e outros artistas como Sheryl Crow, Jane´s Addiction, Grace Jones e Robbie Williams.

Falando em Bjork, o Duran Duran vai comemorar o seu 25º aniversário de "volta", fazendo um show com a formação original da banda. Os caras vão chamar pra cantar com eles: Beyonce, Ozzy, Robbie Williams e Bjork. Fontes confiáveis me disseram que, desta vez, a cantora islandesa vai vestida de maçã encantada.

terça-feira, outubro 14


A Kelis é tudis!

Ela andava sumida. Depois de gritar muito "I hate you so much right now", parecia que o destino de one hit wonder da cantora de RnB Kelis estava certo. Mas nada como uma boa companhia para alavancar uma carreira musical novamente. Principalmente quando se tem amigos como o Pharrell Williams e se vai para a cama com o rapper Nas. Não, eu não tô chamando ela de vagabunda. Não seja machista. E nem tô dizendo que o fato de andar com estes meninos é o que explica o talento de Kelis. Não. Ela tá longe de ser uma Beyoncé.

"My milk shake brings all the boys to the yard, and there like, its better than yours" é o refrão da música "Milk Shake" que não sai da cabeça. A faixa faz parte do mais novo CD dos Neptunes (que eu já falei demais lá embaixo) e vai estar no novo álbum da menina, chamado "Tasty". Por enquanto, ela anda cantando com o namorado Nas e com uma rapaziada aí. Tem feito bastante participações especiais, como na excelente "Finest Dreams", do Richard X. Se quiser pegar tudo, te vira no soulseek pra achar. E se já tem o programa, add user phantastic e pega tudo dele. "la la-la la la, warm it up... lala-lalala, the boys are waiting".

segunda-feira, outubro 13


Saindo do Acre

Rita não aceitava viver toda a sua vida naquela "cidadezinha nojenta", como mesmo dizia. Não queria ser uma menina do interior. Queria ganhar o mundo, ser cosmopolita, falar diversas línguas, ser uma profissional respeitada. E se empenhou para isso. Saiu do interior do Acre e arranjou um emprego em São Paulo. Lá, se formou em economia, pintou o cabelo de loiro, foi para Londres por dois anos e voltou para a capital paulista para administrar uma multinacional.

Era outra pessoa. Nunca mais usou chinelo. Nem foi comprar pão de bicicleta. Quando falava com a família por telefone, não entendia nada do que eles diziam: "Meu deus, esse sotaque é horroroso, mãe. Eu falava assim?"

O sucesso de Rita só não era bem desfrutado, pois não tinha com quem compartilhá-lo. Queria arranjar um namorado. Tinha que pensar em filhos. E em amor também. No ano seguinte, durante suas férias em Nova York, conheceu Eric quando saía do teatro. Depois de horas falando sobre a peça, o americano perguntou:

- Você mora onde?
- Estou hospedada. Estou aqui só de passagem.
- Ah, legal. Você é de onde?
- Brasil.
- Sério? Não parece que é de lá. Nunca imaginaria...

Foi amor à primeira vista. O gringo conseguiu ver o que a economista sempre tentou mostrar. Casaram-se no mês seguinte e foram morar na casa de Rita, no Morumbi. Eric odiou São Paulo: "É tudo sujo e feio". Foi levado ao Rio: "Muita bagunça, muito quente".

Nas férias, decidiram viajar para o Amazonas. Depois, visitariam a família de Rita: "Eric, não quero que você ria de nada. Sei que a cidade é horrorosa, mas respeite meus pais". Não foi preciso esforço algum. O gringo amou a cidadezinha no Acre. Não queria voltar para São Paulo. Se tivesse que sair dali, seria só para Nova York: "O ar é puro. As pessoas são verdadeiras. A paz mora aqui".

Rita voltou sozinha. Demitiu a secretária pelo sapato horroroso que ela usou na segunda-feira. Deu gritos durante a reunião e bateu com o carro. Quando perguntavam sobre o marido, dizia que tinha morrido no Acre, picado por uma cobra venenosa.

- Que horror, Rita! Meus pêsames.
- Pois é. Aquela região é cheia de animais perigosos. Minha mãe morreu atacada por um tigre, por exemplo. O governo de lá não toma conta direito... região triste e abandonada.

domingo, outubro 12



Experimentaram clicar na figura?

sexta-feira, outubro 10


Placas: a exposição

Está aberta para visitação no fotolog escapismo a exposição do artista plástico Phelipe Cruz chamada "Placas: obras e construções concisas do ser humano alterado sob uma visão bem peculiar e abrangente". A mostra, toda baseada na experiência de seres humanos segurando placas dentro de uma visão bem concisa e alterada de uma obra peculiar e abrangente, como exemplifica melhor o título da exibição, é motivo de orgulho para o artista: "Quando eu photoshopo, me sinto mais perto de Deus".

A foto ao lado não será exibida na mostra "Placas: obras e construções concisas do ser humano alterado sob uma visão bem peculiar e abrangente" por ser muito agressiva e tocar em assuntos como doenças em famílias: "Eu preferi resguardar-le-á por razões implícitas do meu ser. A foto é exibida aqui como um privilégio para os admiradores de minha arte, que visitam este blog." disse Phelipe. O artista plástico, depois de anos em depressão, encontra no seu último trabalho, um motivo para sorrir: "Fotografar é amar-se. Amar é agradar-se", emociona-se.

quarta-feira, outubro 8


Seja bem-vindo ao meu post Britney Spears:

A primeira-dama de um governador dos EUA disse recentemente que, se tivesse a chance, daria tiros em Britney Spears. Kendel Ehrlich, que se preocupa com as influências negativas que a indústria do entretenimento pode ter nas crianças e adolescentes, considera Britney um mau exemplo pela sua vulgaridade precoce. O engraçado é que ninguém reclama da música da garota. Isso que me impressiona. A declaração da suposta assassina tomou conta dos jornais e pegou muito mal. O gabinete da primeira-dama se desculpou depois. Saiu com um comunicado dizendo que era só brincadeira, que era uma figura de linguagem. Grande explicação. Foi bom dizer, porque todo mundo achou que ela ia matar mesmo, não é verdade?

Mas parece que nada pára Britney Spears. Desde a linguada em Madonna, a teen-fumante vem sendo assunto de todos os noticiários. Rendeu fofoca com aquela capa safadinha da Rollingstone imitando Brigitte Bardot e agora vem duetando com Madonna em "Me against the music", que vai estar em seu novo disco. A última novidade é o contrato milionário fechado com a Pepsi. Tão sabendo? A propaganda vai ser estrelada por Pink, Beyoncé e Britney. A empresa de refrigerantes vai desembolsar dois milhões de dólares para cada uma. As três serão acompanhadas pelos integrantes do Queen, que tocarão "We will rock you". Li faz um tempo que o comercial seria rodado em Ipanema. Já imaginou o tumulto?

Ah, voltando. A musiquinha (download aqui) dela com a Madonna é bem neguinha. Bem legalzinha. Tem um refrãozinho pegajoso. Assim, tudo no diminutivo. Falando em Britney, viram o ex dela?

segunda-feira, outubro 6


Viram a Maria Rita na Globo?

Como não falar dela? Como não falar do Gugu? Ok, eu não falei dele. Mas olha, que se dane. A voz da mulher é excelente. O especial começa com "Pagu", a última música boa da Rita Lee, que ganha uma nova versão (mais interessante) com a interpretação da Maria Rita. Até aí, legal: veremos coisas novas, composições atuais e "nasce uma estrela". Mas ao longo do show, a herança aparece. Está em todas as músicas. Assim como a mãe tem um Jair Rodrigues, a filha tem um Lenine na chatinha "Lavadeira do rio". Assim como a mãe tem um Ivan Lins, a filha tem um Cláudio Lins na pentelha "Cupido". E não pára por aí. Tem bastante Milton Nascimento também. Todos os ingredientes pra fazer o mesmo bolo, certo? Então não seria cegueira (ou surdez, ou hipocrisia) omitir a presença da Elis Regina na carreira musical da filha?

Por que a imprensa evita a comparação? Chega a assustar de tão parecido que é. Ambas têm, praticamente, o mesmo repertório e carregam a mesma força, a mesma tristeza na voz. Se isso é ruim? Não. Eu fui ver Matrix Reloaded. Vocês também não foram?

quinta-feira, outubro 2


Pires e Bush


- Eu sufri, sabe? Eu tinha bigodinho...eu era infiliz. Agora olha só...eu tô aqui contigo. E você fala inglês. É mais importante que o Lula.
- Take it easy, nigga. I´m just a killa!
- Me abraça forte, tio.