<BODY> philipinas: Setembro 2003

terça-feira, setembro 30


Era uma vez Isabela. Novela, chocolate e siririca. Era muito gorda. E triste. Ninguém comia. Só ela. E muito. Toneladas de pizza. Queria ser desejada, amada, compreendida. Escrevia cartas de amor. Motivo de piadas.

Namorou um garoto da faculdade que a quis. Arranjou alguns motivos para querê-lo também e assim ficaram juntos. Descobriu que durante estes anos, o namorado não só a quis, mas também quis sua mãe, sua irmã e sua prima. Comeu mais um pouco.

No ano seguinte, tudo ia ser diferente. Ela iria aprender a ser gente. E que o orgulho poderia valer alguma coisa. Jogou fora os discos do Roberto Carlos e comprou o CD dos Los Hermanos. Emagreceu 30 quilos. Boate, praia e sexo. Estava bonita. E feliz. Todo mundo queria comer. Menos ela. Só pensava em seu corpo e em como poderia melhorá-lo ainda mais. Era amada, desejada e admirada. O celular não parava de tocar. Motivo de orgulho.

O senso de humor adquirido durante todos os anos de obesidade fazia com que Isabela olhasse, hoje, a atenção exagerada que recebia, com certa graça e desconfiança. Não acreditava que alguns quilos perdidos podiam armar todo aquele circo. Até ficou com os garotos mais bonitos do bairro e da faculdade. Mas não quis namorar nenhum deles. Ninguém entendia o porquê. Namorou o vizinho. Alberto a conhecia desde pequena. Não era nenhum Brad Pitt, mas ria de suas piadas.

domingo, setembro 28


Pharrell Williams



O garoto também atende por N.E.R.D. e Neptunes. É o cara. Uma pena que o hip hop no Rio ainda é coisa de branco. Já viu? Só dá playboy maconheiro e patricinha de bolsa e celular que ainda pulam com "Jump around" e rebolam com a baixaria chata da Khia. Não sei se gostam de música mesmo. É mais modismo que qualquer outra coisa. Mas dê 5 anos e talvez o garoto seja ouvido por aqui.

Pharrell é o responsável pelo estouro da Britney no 'Slave for you' e 'Boys'. É responsável por fazerem os brancos ficarem menos chatos. É responsável por fazer o Justin ser cool e soar igual a Michael Jackson. Quando junta com o amigos - nerds como ele que ouvem de tudo - faz coisas excelentes como o último álbum dos Neptunes (Neptunes Presents... Clones). É música boa que não sai do meu winamp. Já ouviram o remix que eles fizeram pra "sympathy for the devil" dos Rolling Stones? Já ouviram "Frontin" com o Jay-Z? Eu ia só colocar a foto dele aqui, mas eu falo pelos cotovelos.

Ah, só mais uma coisa que não dava pra deixar passar. Dê uma olhada nestes links. São de uma reportagem de 9 páginas da Source sobre o garoto se divertindo durante seu aniversário no Rio de Janeiro. O empresário alugou um barco que levou o Pharrell e muitas mulatas da Baía de Guanabara até Niterói: "Sair com um milhão de garotas brasileiras é divertido. Mas você não poder fazer isso a vida toda. Não eu...eu prefiro concentrar a minha energia em uma só garota", disse o rapper pensando em Preta Gil.

sábado, setembro 27


* Quem assina o JB recebeu hoje a revista Glam Rio. Traz Ana Hickmann na capa, vestindo a nova personagem de Fausto Fawcett, a Faveloura, "clássica como uma bachiana na sua ginga suburbana". O ensaio traz a top-bitch de pernas de dois metros de altura sendo fotografada no morro ao lado de sacos de cimento. Muito natural. É como Carolina Ferraz comendo um X-Tudo na Central. Bem convincente.

Mas a revista de "moda vista pelos cariocas", principal concorrente do caderno Ela, do Globo, convence sim. Pra quem gosta de moda, tem a coluna da Cristina Franco. Tem também cultura e comportamento com a Beth Lima; e pra quem gosta de música, o Gustavo Leitão (saudades do chocolate) tá falando do pessoal que vem pro Tim Fest.

* Ah, fui ontem no Odeon ver "Noviça Rebelde". Não ria da minha cara. O filme é exibido meia-noite e faz parte da mostra musical do Festival do Rio. É "animado" por Miguel Falabella. Ok, eu não sabia disso. Fui pego de surpresa. A produção do festival contratou o ator com a tentativa de fazer igual aos cinemas de Nova Iorque que sempre exibem o mesmo musical durante anos e são freqüentado por estudantes de teatro, drogados e malucos (ué, não é tudo a mesma coisa?) que cantam, dançam e vão vestidos à caráter. Mas não colou. Come on, nós somos brasileiros. Não temos uma cultura de cinema e entretenimento enraizada (huhuhuhu). Poxa, quando vi o Falabella lá, podia jurar que ele ia se vestir de freira e cantar "the sound of music". O negócio lá tá divertido. Hoje tem Rocky Horror Picture Show (esse promete) e na segunda tem Hair (nesse eu vou).

quinta-feira, setembro 25


terça-feira, setembro 23


Meu bairro não tem cinema! Sim, eu sou uma pessoa 'infiliz'. Não posso dizer que o Roxy em reforma é um cinema. Ninguém tem coragem de assistir nada lá com aqueles barulhos de martelo. Logo agora que o festival de cinema do Rio tá chegando (começa na quinta, dia 25). O Roxy, que costumava exibir os filmes da mostra, não vai passar nenhum. O outro cinema aqui em Copa, que também exibia filmes da mostra, foi destruído para a construção daquela nojeira onde as pessoas suam e falam coé. Pô, eu vou ter que pegar ônibus pra ir ao cinema? Que saco! Tem alguém que mora em Botafogo, perto do Espaço ou da Estação, que pode me abrigar por este tempo? Eu sei cozinhar e limpar.

segunda-feira, setembro 22


Amigos íntimos

- Se eu te perguntasse uma coisa, você seria sincero comigo?
- Claro...
- Mesmo?
- Claro!
- Você me acha masculinizada?
- Olha, Rita... Não é isso... É que você é meio moleca, entende? - Ricardo fica pensando...a amiga continua esperando uma resposta melhor - Teve que encarar uma vida difícil e aturou muita barra na sua infância. Você, apesar de tudo, é muito minha amiga, de respeito mesmo, saca? Minha companheira, uma pessoa decente, fiel, independente, topa todas as paradas... Eu não tenho o que reclamar da nossa amizade.
- Sei...mas então, o que você acha de mim? O fato deu não curtir batom, saca? Você acha isso legal? E outra pergunta. Naquele sábado que você saiu com seus amigos da faculdade pro Outback, por que não me chamou? Você chamou a Vivi e a Fabiana e não me convidou. Você tem vergonha de mim?
- Nem vem, Rita. É porque você não curte carne e tal...Não vem com essa. Eu te conheço desde pequena. Nunca ia ter vergonha de você. Afinal você já é parte da minha família. Não tô nem aí se você não liga pra essas coisas fúteis tipo roupa, cabelo... Você tem seu próprio estilo, saca?
- Ok, então já que a gente é amigo e mais nada, eu posso te perguntar isso sem você achar que é alguma cantada e tal. Você, tipo... transaria comigo?
- Se eu fosse gay, talvez...(um soco voa no braço de Ricardo)
- Filho da puta!

sábado, setembro 20


sexta-feira, setembro 19


Eu preciso ficar calmo
A paciência vem da paz?
O conforto pode vir em uma barra de chocolates
Eu entendo os drogados
Só não entendo os que gritam
Roberto sabia que naquele momento podia atirar pra cima e ter a atenção de todos
E assim fez
Com a arma na mão e os olhos todos para ele, exclamou
Olha só...calma

quarta-feira, setembro 17


Eu não consigo parar de ouvir bootlegs

Os dois
E os especialistas no assunto vêm pro Tim Fest. O que é bootleg? O grupo 2ManyDjs faz o seguinte: pega duas músicas completamente diferentes e junta numa só. Imagine a batida de "smells like teen spirit" do Nirvana com o vocal de "independent woman" das Destiny´s Child. Ou então a Missy Elliot com o George Michael, que ficou com o nome de "get your faith on". Tem outras misturas inusitadas: Beck com Prodigy, Christina Aguilera com The Strokes e a excelente mistura de Kylie Minogue com o "blue monday" do New Order.

O legal é que traz muita gente esquecida dos anos 80 e une músicas de mundos totalmente diferentes. Alguém já imaginou a musa country Dolly Parton com Royksopp? O único problema é que o bootleg é, obviamente, proibido (os caras não pagam os direitos pras gravadoras). O quê explica o sucesso da procura pelas músicas, o sucesso do 2ManyDjs e o fato do show deles terem vindo pro Brasil depois de ter lotado todos os clubes lá de fora. O resultado é divertidíssimo. Quem quiser, pode procurar no Kazaa por Soulwax, que é o nome de um CD (quem tem é rei) que os caras tentaram vender por aí. Ou então colocar um versus outro. Tipo "Mozart vs Madonna". Não, esse bootleg não existe. Eu que tô sendo idiota mesmo.

sábado, setembro 13


Alguém viu a Preta Gil ontem no Jô?

Duas gordas batendo um bate-papo descontraído sobre a ditadura da beleza imposta pela mídia. Preta Gil falou sobre a suposta identificação que as mulheres brasilieiras teriam com o ensaio nu que ela fez pra revista Trip e o Jô mostrou tudo o que colocaram de sacanagem na internet sobre a filha do ministro. Inclusive os cartazes do kibeloco (foi ele mesmo, né?). E ela dava risada. Risadas escandalosas. Simpática a menina. Só que bem comportada dessa vez. Não falou palavrão. Nem nada polêmico. Agora ela entende que "a palavra pode causar muitos problemas". Que entende "a responsabilidade que a fama trouxe". Que não pode falar o que bem quer. Entende que é filha do ministro e não pode se comportar desse jeito. Pô, até tu, Preta Gil? Quando o rumo da prosa começa a ficar interessante e alguém ganha alguma atenção falando coisas que a Sandy nunca falaria, não dura muito. Kelly Key veio com algo novo e Sandyou. Fernanda Young falou o que bem quis e agora anda Sandyando. O que conclui a minha tese de que toda garota brasilieira, no fundo, é a Sandy. Ou é obrigada a ser a Sandy. Por mais puta que seja, por mais divertida ou livre que pareça, é por pouco tempo. Menina com opinião? Menina falando o que bem entende? Pode não. Só pode ficar pelada na playboy. E mesmo assim, só algumas. A Preta Gil, deus me livre!

O gordo ficou dois blocos com a gorda. A menina foi ovacionada quando tentou entender o porquê do deboche do povo sobre as suas fotos nua: "Por que eu não posso? Por que eu sou preta? Por que eu sou gorda? Ou por que eu sou feliz desse jeito?" O Jô só faltou beijar a boca da menina. Aplausos exagerados tomaram conta do programa. Mas foi cansativo. Preta Gil fala bastante. É egocêntrica (puxou o pai mesmo). Usando brincos enormes, à la Missy Elliot (com o nome Preta Gil escrito dentro da argola), e uma calça que pedia socorro por ter entrado ali, a garota que andou fazendo o Brasil rir e se indignar, cantou "preta preta pretinha" no final do programa. Foi a hora de desligar a televisão. Ela quer ser cantora, né? Ah, a filha gorda sem-noção do Gil tava divertida.

quarta-feira, setembro 10


Bagaço total
A Peaches tá vindo pro Tim Fest. A canadense promete ser a grande atração do festival. Como definir o som? Funk de bater bundinha, rock, vocais podrões e muita baixaria. O próximo disco dela, que vai ser lançado no dia 15 de setembro se chama "fatherfucker". Agora, vem cá. Isso vai dar o que falar no Rio, certo? Talvez a mulher seja capa de alguns segundos cadernos durante suas apresentações por aqui. Será que numa cidade onde tem Tati Quebra Barraco, isto é realmente novidade? É tão podre quanto, concorda? Será que brasileiro prefere consumir lixo importado? Qual o preconceito com o nosso?

Achei o vídeo de uma apresentação ao vivo da Peaches numa boate chamada Trash (tá vendo? tudo no lugar certo... lá eles valorizam o próprio lixo) que dá pra ter uma idéia do que nos aguarda. A música é "Fuck the pain away". Tem que ter real player novim, tá? Clica aqui, biatch!

terça-feira, setembro 9


eu não vou comer carboidrato
eu não vou mais faltar aula
eu não vou mais ligar pra você
eu não vou mais acordar tarde
eu não vou mais dormir tarde

eu vou ser antes
eu vou ser cheio
eu vou ser cedo
eu vou ser primeiro

o que é isso?
um projeto de poesia?
me dá essa pizza aqui

sexta-feira, setembro 5


Nunca tinha ouvido falar

Os soundboards trazem trechos das falas mais famosas dos filmes das celebridades. A Juliana, que me enviou essa inutilidade, é apaixonada pelo Vin Diesel. Deve estar se masturbando só de ouvir os "ok" e os "uhh" do Alexandre Frota americano. Eu andei fuçando lá. O meu favorito é sem dúvida o do Dr. Evil. Mas tem o do Homer também. E um que consegue ser tão engraçado quanto esses dois é o do Samuel L. Jackson em Pulp Fiction: "Does....he...look...like...a bitch?". Eu só sei que eu preciso fazer um da Renata Sorrah.

quinta-feira, setembro 4


A volta ao mundo em sete dias

Você tem uma câmera digital e vai tirar uma foto para cada dia da sua semana. Uma foto por dia. E estas, exibidas em um site. Foi essa a idéia que o pessoal do "a day in the life" teve. Pessoas de diversos lugares do mundo estão sendo convidadas a mostrar um pouco de seu cotidiando, do seu dia-a-dia. A lista de fotógrafos na espera pelo convite já é enorme.

Pra quem é voyeur como eu, pode entrar nos arquivos e dar uma olhada no que já fotografaram por aí. Achei um único brasileiro por lá. Um paulista que gosta de jazz e mora de frente prum posto de gasolina. Tem também um universitário alemão que passa o dia inteiro entrando em pubs e fotografando mulheres na rua. Uma semana você pode passar com uma açougueira do Líbano e outra com uma designer de São Francisco que mora num lugar de babar. E pra participar, nem precisa ser fótógrafo profissional. Idéia sensacional.

quarta-feira, setembro 3


Comecem a economizar

Saiu a lista oficial de quem vem pro Tim Fest. Tá lá no Tom Leão. Um dos festivais de música de maior prestígio no país, o Free Jazz, está de volta. Só que patrocinado pela Tim telefonia móvel. Acontece no Rio no final de outubro e vai pra São Paulo no ano que vem. Olha isso:

* Pra dançar: Peaches, The Rapture, DJ Erol Alkan, Apavoramento Sound System, Gilles Peterson, Coldcut, 2 Many DJ's, Front 242, Gerador Zero, Gotan Project, Lambchop.

* O rock de White Stripes, Wilco, Beth Gibbons (rock, tio?), Super Furry Animals. E os nacionais Los Hermanos, Wado e Fellini

* O hip hop de Public Enemy, The Streets, Instituto e AfroReggae.

* O jazz de Meirelles e Copa 5 , Luiz Avelar, Chico Correa, Tributo a Ary barroso, KD Lang Jazz Trio , Shirley Horn, Argentino, Cedar Walton Trio, Maccoy Tyner Big Band, Illinois Jacquet Big Band, Terence Blanchard e Walt Weskopft Nonet

Peraí. Eu li KD Lang Jazz Trio ali? Sério que a mulher vem mesmo? Eu vou ter a chance de ver uma das vozes mais fodas cantando ao vivo? E a Beth Gibbons? Vou ver também? Deixa eu olhar esta lista de novo. Peraí: Peaches, Front 242, Gotan Project, White Stripes e PUBLIC ENEMY! Pô, quem tava sentindo música boa, não pode reclamar. Eu vou ver em outubro, lá no MAM. Todo mundo lá. Ebaaa! (Phelipe finaliza o post que nem criança).

terça-feira, setembro 2


Os 100 mais, mais, digamos assim, melhores.

Taí uma boa notícia. Especialmente praqueles que têm conexão a cabo e esgotaram todas as possibilidades ou idéias de música para baixar. O site popmatters, um dos meus favoritos, reuniu todos os seus críticos e trouxe as 100 músicas mais legais de 1977 até 2003. Por que esta data? O critério foi o seguinte. O pessoal ficou insatisfeito com as listas feitas pelos canais MTV e VH1 e resolveu fazer outra divisão. Ia levar em conta só as músicas feitas após o estouro das bandas Sex Pistols e The Clash, que, segundo eles, revolucionaram a cena pop mundial (eu também concordo, só falei 'segundo eles' por quê foram eles que disseram. Ah, vocês entenderam).

A lista é bem justa. Traz REM, Blondie, Smiths, bastante Prince (lista inteligente é outra coisa), a Madonna de like a virgin e into the groove, o Beck where it´s at? i got two turntables and a microphone, algumas do Radiohead, do Michael Jacko e o primeiro lugar com o smells like teen spirit do Nirvana. A lista ainda traz, para cada música, um comentário decente sobre a história da mesma. Eu tô torcendo o nariz pra 29º, mas tudo bem. Dá um olhada.

Vocês me acham um cara esnobe?

a) Com certeza.
b) Sim, mas é só fachada. No fundo você é podrão.
c) Claro que não, gato. Você é gente finíssima.
d) Não. Quem fala isso é quem não consegue achar um defeito. Você é perfeito!
e) Ah, por favor. Você ouve Madonna...
f) Você? Esnobe? Meu amor, talk to the hand
g) Ih! Você mudou o template!